Sarampo pode causar cegueira em bebês

August 12, 2019

 

 

São Paulo vive um surto de sarampo, com 778 casos confirmados no ano, e é apontada pelo Ministério da Saúde como em situação de risco. Esta é uma doença potencialmente grave e que pode levar à cegueira, além de outras complicações como pneumonia, infecções e até morte.

 

Saiba identificar os sintomas do sarampo

 

Os primeiros sintomas do sarampo são febre alta, tosse, coriza e conjuntivite, seguidos de manchas avermelhadas pelo corpo. No início, a sensação é como se estivesse com um resfriado. Depois é que aparecem as manchas vermelhas na pele, típicas da doença.

 

Além disso, a transmissão do sarampo ocorre de forma direta e rápida, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. As partículas virais ficam suspensas no ar. Por isso, o elevado poder de contágio da doença.

 

Lesões nos olhos em decorrência do sarampo

 

Médicos alertam que as sequelas mais graves da doença estão relacionadas a lesões nos olhos. Isso se deve ao fato de a conjuntivite ser um dos mais frequentes sinais do sarampo, deixando os olhos bem avermelhados e com possibilidade de infecção.

 

O risco é maior no caso da criança que tem a doença ainda na barriga da mãe, transmitida pela gestante. Quando isso acontece, é alto o risco de o bebê nascer com alterações no nervo ótico ou na retina, o que pode levar até mesmo à cegueira.

 

Já no caso da criança que adquire a doença nos primeiros meses de vida, antes de ser vacinada, o risco principal é o de cicatriz na córnea, que é mais superficial. Logo, o risco de cegueira é, de forma geral, afastado. 

 

Prevenção

 

A principal forma de prevenção do sarampo é através da vacina, disponível nas salas de vacinação de postos de saúde de todo o país. 

 

Pessoas entre 12 meses de idade até os 29 anos devem ter duas doses da vacina na carteirinha de vacinação. Destas, uma dose da vacina tríplice viral deve ser feita aos 12 meses de idade e uma dose da vacina tetra viral aos 15 meses (um ano e três meses).

 

 

 

Pessoas entre 30 e 49 anos de idade devem ter pelo menos uma dose da vacina tríplice viral. 

Quem não lembra ou não tem registro de vacinação, é importante se prevenir. Não há risco para a saúde caso venha a tomar uma nova dose da vacina.

 

Quem não pode vacinar?

 

Pessoas com suspeita de sarampo, bebês com menos de seis meses idade, imunodeprimidos e mulheres grávidas. Nesse último caso, o ideal é tomar a vacina após o parto. Quem está planejando uma gestação, deve tomar até um mês antes de engravidar.

 

Surto de sarampo na região sudeste

 

Quarenta e três cidades brasileiras estão, no momento, com surtos ativos de sarampo. Divididos em três estados, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, os municípios nessa situação (lista completa) tiveram crescimento no número de casos da doença nas últimas semanas, o que coloca em risco a saúde de moradores e turistas desprotegidos, mas principalmente das crianças.

 

A Secretaria de Estado da Saúde São Paulo anunciou a ampliação da campanha de vacinação contra sarampo para outros nove municípios da região, devido à circulação do vírus. 

 

Unidades de vacinação que abrem aos sábados e feriados

 

A pasta alerta ainda que essa vacinação, chamada de “dose zero”, não irá substituir e nem será considerada válida pelo calendário nacional de vacinação da criança.

 

Visite o blog da UPO. Toda semana um conteúdo novo sobre saúde dos olhos, prevenção e profilaxias.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

E-book: Cirurgia Refrativa - O que é, quem pode fazer e como funciona

July 26, 2018

1/3
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo